Sociedade Bíblica de Portugal

38 – A queda de Israel – O CENTRO DA ADORAÇÃO

ORAÇÃOSenhor, às vezes sinto-me vazio e incapaz de me ligar a ti. Por favor, enche-me do teu Espírito para que te possa adorar hoje.

Texto(s) bíblico

Deus aparece de novo a Salomão

1Quando Salomão acabou de edificar o templo do Senhor, o palácio real e tudo quanto se propusera fazer, 2o Senhor apareceu-lhe pela segunda vez, como lhe tinha aparecido em Guibeon, 3e disse-lhe: «Ouvi a oração suplicante que me dirigiste e consagrei este templo que tu edificaste para dele fazer o meu santuário para sempre. Todos os dias, terei postos nele os meus olhos e o meu coração. 4Se tu me servires com toda a honestidade, como fez David, teu pai, obedecendo às minhas leis e cumprindo tudo o que te ordenei, 5estabelecerei para sempre o teu reinado em Israel, como prometi a David, teu pai, quando lhe disse que nunca faltaria um descendente seu no trono de Israel. 6Porém se tu e o teu povo ou os vossos descendentes se desviarem de mim e não cumprirem os mandamentos e as leis que vos dei e se inclinarem diante doutros deuses para os adorarem, 7então retirarei o meu povo de Israel da terra que lhe dei, abandonarei o templo que consagrei como meu santuário e Israel será motivo de sarcasmo e de troça para todos os povos. 8Este templo será transformado num montão de ruínas e todo aquele que por aqui passar ficará surpreendido e perguntará admirado: “Por que é que o Senhor fez isto a esta terra e a este templo?” 9E hão de receber a resposta: “Foi porque abandonaram o Senhor, seu Deus, que tirou do Egito os seus antepassados, e porque se apegaram a outros deuses e se inclinaram diante deles para os adorarem e servirem. Foi por isso que o Senhor lhes enviou todos estes males.”»

REFLEXÃO

Imagina como as pessoas de Israel se sentiram, quando se juntaram para a dedicação do novo templo (8:1-2). Por um lado, era um edifício espetacular (1 Reis 6; 7:13-51), por outro, o rei não se ia poupar a sacrifícios, ia celebrar com tudo o que a ocasião pedia (8:5, 62, 63). Mas, enquanto Salomão e os seus funcionários terminavam a cerimónia de inauguração, aconteceu algo estranho (8:10). O que tornou este edifício tão especial?

Alguns, possivelmente, pensaram que foi a arca, que continha as tábuas de pedra com os Dez Mandamentos (8:6-9). Uma lembrança palpável do envolvimento de Deus no passado de Israel. Mas, a coisa mais importante, foi o facto de Deus ter aparecido e da sua glória ter enchido o templo (8:11). Um exemplo poderoso da verdadeira adoração.

E natural pensar na adoração, hoje em dia, como parte dos diferentes momentos do culto — o louvor, a música, a pregação, a oração e a comunhão. Mas, o que torna a adoração algo vivo, não é a forma como o culto decorre, mas, o quão preparados e sedentos estamos para nos encontrarmos com o Deus vivo. Até um culto “mau” pode transformar-se em boa adoração, se tivermos o coração no lugar certo. Quando vais à igreja, esperas que Deus esteja lá?

Muitos anos mais tarde, o apóstolo Pedro usou a imagem do templo para descrever a Igreja, isto é, todos os que decidiram seguir Jesus Cristo (1 Pedro 2:5). Apesar de ser impressionante, o templo de Salomão era apenas temporário. Era uma antevisão de um templo muito maior, o Corpo de Cristo, que durará para sempre.

No final da cerimónia de dedicação de Salomão, Deus lembrou ao povo que permanecesse fiel (9:1-9). Ele sabia, quão depressa, se podiam centrar na mecânica da religião e esquecê-lo. Mas, o centro da adoração não é tanto o que faze-mos — mas, antes, quem encontramos.

APLICAÇÃO

Como descreverias os teus momentos de adoração recentes?
O que torna a tua adoração viva?

ORAÇÃO

Senhor Jesus, ensina-me a adorar-te com o mais íntimo do meu ser. Tu és grandioso, santo e amoroso. Obrigado por me dares oportunidade de fazer parte do teu novo templo.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.20.15
Siga-nos em: