Sociedade Bíblica de Portugal

5 – No princípio – PODEMOS FALAR?

ORAÇÃOAjuda-me a aquietar o meu coração e a minha mente, ó Deus, para que hoje, possa ouvir a tua voz.

Texto(s) bíblico

A torre de Babel

1Naquele tempo a Humanidade falava uma única língua e todos usavam as mesmas palavras. 2Mas a certa altura, puseram-se a caminho, saindo do oriente, e chegaram a uma planície na Mesopotâmia onde se fixaram. 3Disseram então uns para os outros: «Vamos fazer tijolos e cozê-los no forno!» Os tijolos serviam-lhes de pedra e o betume fazia as vezes da argamassa. 4Depois disseram: «Agora, vamos construir uma cidade com uma grande torre que chegue até ao céu, pois temos de ficar famosos antes que tenhamos de nos dispersar pelo mundo

5O Senhor desceu, para ver a cidade e a torre que os homens estavam a construir 6e disse então para consigo: «Eles são um só povo e falam todos a mesma língua. Agora puseram-se a fazer isto e depois ninguém mais os poderá impedir de fazerem aquilo que projetarem fazer. 7Vou lá baixo confundir as suas línguas, de modo que eles se não entendam uns aos outros.» 8E desta forma, o Senhor, os dispersou por todo o mundo e eles desistiram de construir a cidade. 9Por isso, aquela cidade ficou a chamar-se Babel, porque foi lá que Deus confundiu as línguas da Humanidade e foi de lá que os dispersou por todo o mundo.

REFLEXÃO

O que tinha a torre de Babel de mal? Afinal de contas, estavam a ser criados postos de trabalho, as pessoas estavam a trabalhar juntas para um objetivo comum, estavam a ser feitos progressos tecnológicos e a sociedade parecia estar à beira de um feito histórico. Um currículo destes elegia qualquer político, hoje em dia.
Então, qual era o problema?

Talvez tenhamos uma pista em Génesis 11:4. A motivação de todo este trabalho, aparentemente bom, era alcançar a glória humana, em vez, da glória de Deus. Neste ponto, confrontamos o que o escritor C. S. Lewis chamou de “o pior de todos os vícios” — o orgulho. Desde a Queda, que as pessoas vinham a escolher, cada vez mais, seguir o seu próprio caminho, em vez, do caminho de Deus. Esta torre fantástica tornou-se uma afirmação provocadora da humanidade: “Aqui mandamos nós.” Mas, não era verdade e, por isso, Deus confundiu e dispersou o povo de Babel (11:7-9). Deus não vai permitir que o nosso orgulho desmedido dure para sempre (Provérbios 16:18).

Ao mesmo tempo, Deus afirmou o poder da boa comunicação de uma forma incrível (11:6). Imagina o que poderíamos alcançar, hoje em dia, na esfera política, nos locais de trabalho, nas igrejas e, especialmente, nas famílias se fossemos capazes de comunicar eficazmente uns com os outros e, ao mesmo tempo, evitar os orgulhosos jogos do poder. Nada seria impossível! Mas, a triste realidade é que o orgulho veio para ficar. E infetou-nos a todos.

No final, a torre não foi destruída. Foi deixada de pé, numa planície deserta, um monumento à futilidade de tentar viver sem Deus. Esta história teria tido um final muito diferente se as pessoas tivessem seguido o exemplo de Noé (8:20-22). Quando reconhecemos Deus e o adoramos, ele pode fazer coisas grandes através de nós.

APLICAÇÃO

Tens algum problema de comunicação na tua família? Na igreja? No teu local de trabalho ou estudo? Até que ponto o orgulho tem sido a causa? Como poderias mudar a situação?

ORAÇÃO

Ó Senhor, por muito que tente, o orgulho parece infiltrar-se sempre no meu coração. Perdoa-me e ajuda-me a ser humilde em tudo o que faço.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.14.1
Siga-nos em: