Sociedade Bíblica de Portugal

8 – Abraão, Isaac e Jacob – ESTRANHO, MAS VERDADEIRO

ORAÇÃOHoje, quero louvar-te, Pai. És tão fantástico, tão bom e amoroso para mim. Quero que saibas o quanto te amo.

Texto(s) bíblico

Nascimento de Isaac

1O Senhor lembrou-se do que tinha anunciado a Sara e cumpriu o que lhe tinha prometido. 2Sendo Abraão já de idade avançada, Sara ficou grávida dele e deu à luz um filho, exatamente na altura do ano que Deus lhe tinha anunciado. 3E Abraão deu àquele seu filho, que Sara tinha dado à luz, o nome de Isaac. 4Aos oito dias de vida, Abraão fez-lhe a circuncisão conforme a ordem recebida do Senhor. 5Abraão tinha cem anos de idade quando nasceu o seu filho Isaac. 6Com efeito, Sara dissera: «Deus guardou para mim um sorriso e todos os que ouvirem esta notícia hão de sorrir por causa de mim. 7Quem diria a Abraão que Sara ainda iria amamentar filhos. E, sendo ele já de idade avançada, ainda lhe dei um filho.»

8O menino foi crescendo até que chegou a idade de deixar de mamar e, nessa altura, Abraão ofereceu um grande banquete.

Abraão separa-se de Ismael

9Um dia Sara encontrou o filho de Abraão e da sua escrava egípcia, Agar, a brincar com Isaac 10e foi dizer a Abraão: «Tens de mandar embora essa escrava e o seu filho. Não quero que o filho dela seja herdeiro juntamente com o meu filho Isaac11Abraão ficou muito desgostoso com a proposta, porque se tratava de um filho seu. 12Mas Deus disse a Abraão: «Não fiques tão desgostoso por causa do menino e da tua escrava. Podes aceitar a proposta de Sara, pois a tua descendência virá de Isaac. 13Mas o filho da escrava dará também origem a um grande povo, porque afinal é teu filho também.»

14No dia seguinte pela manhã, Abraão foi buscar comida e um odre de água para os dar a Agar. Colocou-lhe as coisas ao ombro e o menino ao colo e mandou-a embora. Ela pôs-se a caminho, mas perdeu-se no deserto de Bercheba.

15A água que trazia no odre acabou-se-lhe. Agar deixou o menino debaixo dum arbusto 16e foi sentar-se a uma certa distância, porque não queria ver morrer o filho. Sentada no chão, ela chorava em altos gritos.

17Deus ouviu o menino a chorar e o anjo do Senhor chamou do céu por Agar e disse-lhe: «Que tens, Agar? Não tenhas medo, porque Deus ouviu a voz do menino, aí onde ele está. 18Levanta-te, leva o menino e segura-o bem pela mão, pois eu hei de fazer com que ele dê origem a um grande povo.»

19Deus fez com que Agar visse um poço. Foi lá encher o odre de água e deu de beber ao menino. 20Deus protegia o menino e ele foi crescendo. Vivia no deserto de Paran e veio a ser atirador de arco. 21A mãe casou-o com uma mulher egípcia.

Aliança entre Abraão e Abimelec

22Por aquela altura, Abimelec acompanhado de Picol, chefe do seu exército, disse a Abraão: «Deus está do teu lado em tudo aquilo que fazes. 23Peço-te que jures agora por Deus que não pretenderás enganar-me, nem a mim nem aos meus filhos e descendentes, e que me tratarás a mim e a esta terra, onde moras, com a mesma bondade com que te tratei a ti.» 24Abraão respondeu: «Juro.» 25E falou a Abimelec de um poço que os servos de Abimelec lhe tinham tirado. 26Abimelec respondeu: «Eu não sabia que alguém tivesse feito isso. Nem tu mo comunicaste nem eu o tinha ouvido dizer, a não ser agora.»

27Abraão ofereceu ovelhas e bois a Abimelec e assim fizeram uma aliança. 28Mas Abraão pôs de parte sete ovelhas do rebanho. 29Abimelec perguntou-lhe: «Por que é que puseste de parte estas sete ovelhas?» 30Abraão respondeu: «Foi para tas dar, como sinal de que fui eu que fiz este poço.»

31Por isso, aquele lugar ficou a chamar-se Bercheba, porque foi lá que ambos fizeram o juramento. 32Depois de terem concluído esta aliança em Bercheba, Abimelec e Picol, chefe do seu exército, foram de novo para a terra dos filisteus. 33Abraão plantou ali em Bercheba uma árvore, uma tamargueira, e invocou o nome do Senhor, o Deus eterno. 34Abraão viveu ainda na terra dos filisteus, durante muito tempo.

Deus põe à prova a fé de Abraão

1Alguns anos mais tarde, Deus quis pôr à prova Abraão e chamou por ele: «Abraão!» Este respondeu: «Aqui estou!» 2Deus continuou: «Leva contigo o teu único filho, Isaac, a quem tanto queres, vai à região do monte Moriá e oferece-o lá em sacrifício, sobre um dos montes que eu te indicar.»

3Na manhã seguinte, Abraão levantou-se cedo para pôr os arreios no seu burro, preparou lenha para o fogo do sacrifício e pôs-se a caminho para o lugar que o Senhor lhe indicara, levando consigo dois criados e o seu filho Isaac. 4No terceiro dia da viagem, Abraão viu de longe o lugar referido. 5Disse então aos seus criados: «Fiquem aqui com o burro que eu vou até lá adiante com o menino, para adorarmos o Senhor, e depois voltamos para junto de vós.»

6Abraão colocou aos ombros de Isaac a lenha para a fogueira do sacrifício e ele próprio levava o fogo e a faca. Ambos foram caminhando juntos. 7Isaac chamou Abraão: «Ó pai!» E ele respondeu: «Diz, meu filho.» Isaac perguntou: «Levamos aqui o fogo e a lenha, mas onde é que está a vítima para o sacrifício?» 8Abraão respondeu-lhe: «Deus há de encontrar a vítima para o sacrifício, meu filho.» E foram continuando a caminhar juntos.

9Chegaram ao lugar de que Deus lhe tinha falado. Abraão construiu ali um altar e acomodou a lenha por cima dele. Depois atou o seu filho, Isaac, e colocou-o em cima do altar, por cima da lenha.

10Abraão estendeu a mão e agarrou a faca para sacrificar o seu filho. 11Mas do céu, o mensageiro do Senhor chamou por ele: «Abraão! Abraão!» Este respondeu: «Aqui estou!» 12E Deus disse-lhe: «Não levantes a mão contra o menino; não lhe faças nenhum mal. Agora já vejo que és obediente a Deus, pois estavas disposto a não poupar nem sequer o teu filho único por amor de mim.»

13Abraão voltou-se e viu atrás de si um carneiro, que estava preso pelos chifres num arbusto. Foi lá buscá-lo e ofereceu-o em sacrifício em lugar do seu filho.

14Abraão deu àquele lugar o nome de «O Senhor providencia» e ainda hoje se diz «na montanha do Senhor se providenciará

15O mensageiro do Senhor chamou Abraão mais uma vez do céu 16e disse-lhe: «Eis o que diz o Senhor: “Já que foste capaz de fazer isto e não poupaste o teu único filho, juro pelo meu bom nome 17que te hei de abençoar e hei de dar-te uma descendência tão numerosa como as estrelas do céu ou como as areias da praia, e eles hão de tomar posse das cidades dos seus inimigos. 18Através dos teus descendentes se hão de sentir abençoados todos os povos do mundo, porque tu obedeceste à minha ordem.”»

19Abraão voltou para junto dos seus criados. E dali partiu com eles para Bercheba, onde ficou a viver.

Génesis 21:1-22:19BPTAbrir na App Bíblia para todos

REFLEXÃO

Hoje começamos com uma história tão estranha que poderia ser o título de qualquer jornal diário: Mulher de 90 anos, grávida de um homem de 100! Mas esta história é verdadeira e, mais uma vez, demonstra que Deus pode fazer o impossível, não apenas nas páginas da Bíblia, mas, também, na tua vida. Depois da nossa última leitura, Deus encontrou uma forma de lembrar a Abrão o seu plano, de construir uma nação através dele, mudando-lhe o nome de Abrão, que significa “pai exaltado”, para Abraão, que significa “pai de muitos” (17:5). Era uma espécie de lembrete de que Abraão, em breve, iria precisar.

A história torna-se, ainda, mais estranha, quando Deus diz a Abraão para sacrificar o seu filho Isaac (22:2). Qualquer pai sentiria, imediatamente, o horror de tal dilema. Mas, a parte mais extraordinária da história, é que Abraão não per-de tempo e obedece a Deus. “Na manhã seguinte, Abraão levantou-se cedo…” (22:3). Não discute, nem questiona a intenção de Deus. Levou toda a sua vida, mas Abraão aprendeu a confiar em Deus, não importa o quê. Este, ainda, é um objectivo na vida cristã.

O que Abraão não conseguiu perceber era que Deus estava a usar um teste, aparentemente, cruel para fazer uma afirmação profunda. Enquanto a tensão aumenta em frente ao altar improvisado, Abraão, sem saber, profetiza o plano de salvação de Deus: “Deus há de encontrar a vítima para o sacrifício” (22:8). De facto, Deus providenciou o cordeiro — o seu único Filho, Jesus Cristo, que morreu na cruz, no sacrifício definitivo pelos nossos pecados. Esta é a “grande história”, em poucas palavras. O Cordeiro de Deus está no centro das Boas Novas.

É verdade que Deus, por vezes, testa-nos e isso não é nada agradável. Mas, os testes de Deus edificam mais a nossa fé do que qualquer outra coisa e produzem bênçãos muito maiores na nossa vida, do que aquilo que somos capazes de perceber na altura (22:15-18). Aconteça o que acontecer, podemos confiar que o plano de Deus é sempre o melhor para nós (Romanos 8:28).

APLICAÇÃO

Será que Deus te está a testar de alguma forma neste momento?
De que forma pensas que Deus está a querer edificar a tua fé?

ORAÇÃO

Pai, não compreendo o teu amor por mim na totalidade, nem os teus caminhos. Mas, quero confiar sempre em ti. Ajuda-me a ouvir a tua voz e a seguir-te ao longo do caminho.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.16.16
Siga-nos em: