Sociedade Bíblica de Portugal

87 – De Paulo para os líderes – MOSTRA-ME O DINHEIRO

ORAÇÃOSenhor Jesus, ofereceste-me uma “pérola de muito valor” (Mateus 13:44-46). Valorizo o meu relacionamento contigo mais do que qualquer outra coisa.

Texto(s) bíblico

REFLEXÃO

Certa vez ouvi um recluso descrever o objetivo da sua vida antes de ser preso: “Tudo o que eu queria era mais, e mais, daquelas notinhas de dez e de vinte.” Podemos não manifestar o nosso interesse por dinheiro com esta franqueza, mas, a verdade, é que este exerce uma influência poderosa na nossa vida. Paulo sabia-o, por isso, fez questão de explicar três “princípios financeiros” importantes aos cristãos, na sua carta a Timóteo.

O amor ao dinheiro conduz ao mal (6:10) Ter dinheiro não é mau, mas amá-lo, é. Contudo, o que significa “amar” o dinheiro? Quando amamos uma pessoa pensa-mos nela constantemente, tomamos decisões com ela em mente, dedicamos-lhe grande parte do nosso tempo. Será que isto descreve o teu relacionamento com o dinheiro? Se sim, cuidado!

A ganância produz conflitos (6:3-5) Sabemos que o dinheiro se tornou demasiado importante, quando começa a contaminar outras áreas da nossa vida. Na Igreja primitiva, a ganância de alguns líderes, enfraqueceu o seu compromisso com o ensino sólido e profundo, o que produziu inveja, conflitos, conversas maliciosas, suspeições malignas e constante fricção. Ainda hoje, o dinheiro está na base de muitos conflitos nas igrejas.

O caráter divino produz contentamento (6:6) Algumas pessoas pensam que ter muito dinheiro as fará mais felizes. Mas, na maioria das vezes, o dinheiro acaba, apenas, por torná-las, mais insaciáveis. Perguntaram a John D. Rockefeller, um dos homens mais ricos do mundo: “Quanto é suficiente?”, ao que ele respondeu: “Só mais um pouco”. O segredo da felicidade, não é correr atrás de mais dinheiro; mas buscar os objetivos e os valores do reino de Deus e, depois, deixar que as moedas caiam onde tiverem de cair (Mateus 6:33).

Mas, devemos ter cuidado para não concluir que, só porque o dinheiro e as possessões têm uma influência poderosa, são coisas más. Paulo reconheceu que al-guns cristãos podem ser ricos (6:17). Ainda assim, ordenou-lhes que fizessem de Deus a sua principal prioridade, praticassem boas obras e partilhassem os seus recursos. Este é um desafio que nós, no Ocidente, precisamos de abraçar.

APLICAÇÃO

Diz-se, muitas vezes, que podemos conhecer muito sobre alguém, se analisarmos a sua conta bancária. O que é que a tua diz a teu respeito?

ORAÇÃO

Senhor, obrigado pela forma como me abençoas, com bens materiais. Por favor, ajuda-me a ter mais paixão para te servir do que para gastar dinheiro.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.21.9
Siga-nos em: