Sociedade Bíblica de Portugal

96 – A Revelação – UMA VOZ E UMA VISÃO

APOCALIPSE OU A REVELAÇÃOO Apocalipse é um livro exigente e, contudo, talvez seja o livro mais popular e mais estudado, entre os livros proféticos da Bíblia. Por vezes, as pessoas referem-se ao Apocalipse como A Revelação de São João. Mas, isto pode ser um pouco enganador, porque, na verdade, é a revelação de Jesus Cristo (1:1). João foi, simplesmente, o recetor que a descreveu para para nós.João estabelece, logo de início, que esta era uma mensagem de Deus, acerca do futuro (1:1-3). Deus revelou-lhe esta mensagem, através de uma série de sete visões, enquanto João esteve na ilha de Patmos (1:9).A primeira visão refere-se à Igreja primitiva, por volta de 81-96 DC. Tinham passado, cerca de 50 anos, desde que Jesus ascendera aos céus, e a Igreja começava a desviar-se do evangelho. Para além dos Cristãos sofrerem perseguições, também, começavam a aceitar falsos ensinamentos e a adotar padrões de comportamento pecaminosos. Vais descobrir, certamente, que as mensagens às sete igrejas (2:1 — 3:22) mantêm-se relevantes nos nossos dias.As visões acerca do fim do mundo que se seguem às mensagens, desafiam a nossa compreensão. Há quem tenha tentado descobrir o significado de cada um dos pormenores das visões, mas, isto pode tornar-se, no mínimo, confuso. Pode ser mais útil, se refletires nos temas principais destas visões, da mesma forma que fazes, para te lembrares de um sonho que tiveste durante a noite.Provavelmente, o tema transversal aos últimos capítulos da Revelação (ou Apocalipse) é o confronto final entre o bem e o mal, entre Deus e Satanás. As visões dão-nos uma imagem, de como o diabo vai ser derrotado e de como será o céu. A nossa curiosidade natural, faz-nos querer ter a imagem, exata, do que vai acontecer, mas, a verdade é que vai ser ainda melhor do que imaginamos. Porquê? Porque a principal característica do céu é que todos os que creem em Jesus estarão para sempre com ele!Só mais um pensamento antes de completares a tua viagem através da Bíblia. Não deixes que este seja o fim da tua experiência de leitura da Bíblia. Que seja, antes, o início de um diálogo com Deus para toda a vida. Uma vez que decidires, ser um seguidor de Jesus Cristo, a melhor forma de manteres e desenvolveres o teu relacionamento com ele é, encontrando-o, diariamente, na leitura da Bíblia e na oração. (Se quiseres obter mais informação sobre outros recursos de leitura disponíveis, vai à pág,?) Obrigado por percorreres comigo, o DESAFIO E100, Desafio à Leitura da Bíblia.ORAÇÃOSenhor Deus, quero adorar-te em Espírito e em verdade (João 4:24). Ao fazê-lo, dá-me uma compreensão mais profunda de Jesus.

Texto(s) bíblico

Introdução e saudação

1Este livro contém a revelação de Jesus Cristo que ele recebeu de Deus, para a dar a conhecer aos seus servos. Trata-se de coisas que hão de acontecer brevemente e que Cristo deu a conhecer ao seu servo João por um anjo que lhe enviou.

2João atesta tudo quanto viu em relação à palavra e ao testemunho de Jesus Cristo. 3Feliz aquele que lê este livro e felizes os que ouvem estas palavras proféticas e guardam o que aqui está escrito, porque tudo isto há de acontecer em breve.

4Eu, João, dirijo-me às sete igrejas da província da Ásia. Desejo-vos graça e paz da parte daquele que é, que era e que há de vir, e ainda da parte dos sete espíritos que estão diante do seu trono, 5e de Jesus Cristo, a testemunha fiel, o primeiro dos ressuscitados, o soberano dos reis da Terra.

Cristo ama-nos e pela sua morte libertou-nos dos nossos pecados. 6Ele fez de nós um reino de sacerdotes para Deus, seu Pai. A ele seja dada glória e o poder para todo o sempre. Ámen.

7Eis que ele vem com as nuvens.

Toda a gente o verá,

até mesmo os que o mataram.

Todos os povos da Terra se lamentarão por ele.

Assim há de ser! Ámen!

8Eu sou o Alfa e o Ómega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.

Cristo revela-se a João

9Eu sou João, vosso irmão, e participo convosco nas mesmas perseguições no reino de Deus e na perseverança por Jesus. Encontrava-me na ilha de Patmos por ter proclamado a palavra de Deus e o testemunho de Jesus. 10O Espírito de Deus apoderou-se de mim, no dia do Senhor, e eu ouvi atrás de mim uma voz forte que parecia a voz duma trombeta. 11Dizia assim: «Escreve num livro aquilo que vais ver, e manda-o às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodiceia.» 12Voltei-me para ver quem é que me falava e, ao voltar-me, vi sete castiçais de ouro. 13E no meio dos castiçais estava alguém semelhante ao Filho do Homem vestido até aos pés com uma túnica comprida e uma faixa dourada à volta do peito. 14A sua cabeça e os seus cabelos eram brancos como a lã ou como a neve e os seus olhos eram ardentes como o fogo. 15Os seus pés brilhavam como bronze fundido na fornalha e a sua voz era como o ruído das grandes cascatas. 16Na sua mão direita tinha sete estrelas; da sua boca saía uma espada de dois gumes muito afiada e o seu rosto brilhava como o sol do meio-dia.

17Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Mas ele pôs a sua mão direita em cima de mim e disse: «Não tenhas medo! Eu sou o primeiro e o último. 18Eu sou aquele que está vivo! Estive morto, mas agora vivo para sempre. Eu tenho poder sobre a morte e sobre o mundo dos mortos. 19Escreve pois aquilo que viste, o que está a acontecer agora e o que vai acontecer mais tarde. 20O significado das sete estrelas que viste na minha mão direita e dos sete castiçais de ouro é o seguinte: as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais são essas sete igrejas.»

REFLEXÃO

Vamos diretamente aos factos: o apóstolo João tem, provavelmente, 90 anos a esta altura e já passaram, cerca de 50 anos, desde que Jesus deixou a terra. Deus conduziu João até à ilha de Patmos (1:9), mas ele não sabia o que iria acontecer a seguir. Por isso, dedicou-se à adoração a Deus (1:10).

Quando não se tem a certeza do que fazer na vida, este é um bom conselho a seguir — na verdade, ligarmo-nos a Deus em adoração é bom, especialmente, quando não temos as respostas todas! A verdadeira adoração lembra-nos que Deus está presente, e está no controlo de cada detalhe da nossa vida.

A adoração aprofunda a nossa perceção. Primeiro, João ganha uma melhor compreensão acerca de Jesus, a figura central da sua visão (1:13). Jesus é deslumbrante, avassalador e tem as chaves da morte e do inferno (1:18). É uma posição mui-to poderosa. Quando Jesus veio à terra pela primeira vez, veio como Salvador, mas, quando regressar, virá como Juiz. Outra perceção que João obtém durante a adoração, é uma compreensão mais profunda, da perspetiva de Deus acerca da Igreja (1:11). Mas, voltaremos a este ponto na próxima leitura.

Ao ler estes versículos podes pensar: “Gostava que o meu relacionamento pessoal com Deus fosse tão real e pessoal como o de João.” Repara nas dicas que João nos dá, sobre a sua caminhada com Deus. Já vimos que ele se entregou à adoração de todo o coração. Além disso, era obediente à Palavra de Deus (1:2, 9), estava centrado em Jesus (1:2-8), abraçava entusiasticamente o Espírito Santo (1:10) e estava a passar por sofrimentos (1:9). É esta a receita, para uma caminhada mais profunda com Deus.

APLICAÇÃO

Como descreverias o teu relacionamento com Deus? Isso transparece na forma como o adoras?

ORAÇÃO

Jesus, tu és o todo-poderoso, o primeiro e o último, o eterna-mente vivo e presente. Adoro-te e louvo-te do mais profundo do meu ser.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.20.15
Siga-nos em: