Sociedade Bíblica de Portugal

Dia 15

Texto(s) bíblico

1O filho sábio ouve as advertências do pai;

o arrogante não aceita qualquer reprimenda.

2O homem de bem colhe os frutos daquilo que diz;

os malfeitores vivem da violência.

3O que cuida das suas palavras guarda-se a si mesmo;

o que solta a língua expõe-se à ruína.

4O preguiçoso cobiça, mas nada consegue;

o diligente obtém o que deseja.

5O honesto detesta a mentira;

o perverso é motivo de desonra e vergonha.

6A retidão protege o honesto;

a maldade destrói o pecador.

7Há quem não tenha nada e finja que é rico

e quem passe por pobre, tendo uma grande fortuna.

8Ao rico pode-se exigir resgate pela sua vida;

o pobre não corre o risco de ser ameaçado.

9A luz dos justos brilha alegremente;

a lâmpada dos maus apagar-se-á.

10O orgulho só provoca querelas;

a sabedoria está com aqueles que pedem conselho.

11A riqueza adquirida à pressa diminui;

a que se junta pouco a pouco pode tornar-se grande.

12A esperança adiada aflige o coração;

o desejo satisfeito é uma fonte de vida.

13Aquele que despreza uma ordem há de arrepender-se,

mas quem a respeita será recompensado.

14O ensinamento do sábio é uma fonte de vida,

que nos livra das ciladas da morte.

15O bom senso provoca o respeito;

a atitude dos traidores produz artimanhas.

16O homem prudente atua com inteligência;

o estúpido faz gala da sua tolice.

17Um mau mensageiro cai na desgraça;

um enviado fiel restabelece a situação.

18Pobreza e desonra, para quem despreza a correção;

o que a aceita terá grandes honras.

19O desejo cumprido é motivo de alegria;

por isso, os insensatos detestam renunciar ao mal.

20Anda com os sábios e serás sábio;

quem anda com os maus tornar-se-á mau.

21A desgraça persegue os pecadores;

a felicidade é a recompensa dos justos.

22A herança do homem de bem fica para os herdeiros;

a fortuna do pecador irá para os justos.

23O campo do pobre dá alimento abundante,

mas será perdido, se não houver justiça.

24Quem se recusa a bater no seu filho não o ama;

se o ama, não hesita em castigá-lo.

25O justo come até ficar satisfeito;

o ventre dos maus fica com fome.

Saber encaixar uma advertência é sinónimo de sabedoria. Só mesmo os arrogantes é que não toleram qualquer reprimenda. Quem despreza a correção definha a olhos vistos, já quem a acata colhe os benefícios de ser endireitado. Aceite-se, pois, a recomendação de medir bem as palavras que saem da boca, dado que, abri-la ao vento redunda em tempestades. Evite cair-se em desgraça por causa do descontrolo da língua. Em contrapartida, domada essa perigosa fera, pode abençoar-se com ela toda a gente. Persevere-se na crítica construtiva, pondo de lado a mentira. Recuse-se a preguiça como companhia, preferindo claramente a diligência. Recrute-se a honestidade para guarda-costas, pois quem se escuda na maldade acaba destruído. Viva-se alegremente com o que se tem, sem fingimentos, nem complexos de inferioridade pela escassez de recursos materiais. Confie-se dia-a-dia Naquele que tudo provê. A luz dos que assim procedem “brilha alegremente”, enquanto “a lâmpada dos maus” acaba por se fundir. Esprema-se o orgulho que “só provoca querelas” e que também gosta de chamar a vergonha à baila. Interrompam-se práticas rasteiras e nada de adiar a esperança, pois “entristece o coração”; já “o desejo satisfeito é uma fonte de vida e motivo de alegria.” Respeitem-se as ordens e os ensinamentos de pessoas maduras, tendo presente que “o bom senso” traz consigo o respeito. Procure-se, portanto, estar sempre rodeado de pessoas que sejam uma influência saudável. Gente que dê primazia à justiça, à disciplina e à gratidão. Sim, “a felicidade é a recompensa dos justos.”

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.20.15
Siga-nos em: