Sociedade Bíblica de Portugal

6 – Abraão, Isaac e Jacob – PORQUÊ EU?

ABRAÃO, ISAAC E JACOBA Bíblia começa de forma brilhante, com o milagre da criação e a beleza do jardim do Éden. Mas, como vimos, assim que o pecado entra no mundo tudo muda para pior. Passado pouco mais de doze capítulos de Génesis, lemos como Deus teve de castigar a humanidade, quase ao ponto da extinção com o dilúvio e, depois, a dispersou por causa do seu orgulho na Torre de Babel.O mundo estava a desintegrar-se e, o pior, era que as pessoas não podiam fazer nada. A única esperança era que Deus agisse — e depressa! É por essa razão, que as próximas cinco leituras são tão importantes. Mostram-nos o que Deus fez, ao tomar a iniciativa de nos salvar. O seu plano era criar uma grande nação — Israel — e, depois, através dela abençoar todas as pessoas do mundo, dando-lhes um Salvador.O seu primeiro passo foi escolher Abraão (ou Abrão, como era chamad quando o conhecemos pela primeira vez). Abraão, o seu filho Isaac e o seu neto Jacob são, por vezes, referidos como os Patriarcas. Eles foram as primeiras pedras na construção da grande família de Deus. Como verás, não eram perfeitos, tinham fraquezas: resistiram a Deus e pecaram. Mas, mesmo assim, Deus usou-os. Isto deveria de servir para nos encorajar. O plano de Deus não é frustrado por causa dos nossos erros.Também podemos perguntar por que Deus o fez. Por que se deu ao trabalho de se reconciliar connosco? Por que não enviou outro dilúvio e acabou com tudo de vez? Só pode haver uma resposta. Como C. S. Lewis escreveu no seu livro "Cartas do Inferno", “Ele ama verdadeiramente os bípedes carecas que criou” (Carta 14).Há um outro tema, sobre o qual deves estar atento durante a leitura: chama-se fé. Nesta questão essencial, Abraão acertou. Ele não sabia por que razão Deus o tinha escolhido, nem para onde o mandava e, certamente, não sabia qual era o seu plano. Tudo o que sabia era que Deus lhe disse “Sai de casa”, e ele assim fez. Fé significa confiar a nossa vida a Deus. No Novo Testamento, o apóstolo Paulo explica que o exemplo de Abraão apontou para um passo de fé maior — crer em Jesus Cristo como Salvador e Senhor (Romanos 4:16-25). Já deste esse passo de fé?ORAÇÃOPai celestial, a tua palavra é uma dádiva incrível! Fala hoje comigo de uma forma específica através dela.

Texto(s) bíblico

Chamamento e migração de Abrão

1O Senhor disse a Abrão: «Deixa a tua terra, os teus parentes e a casa do teu pai e vai para a terra que eu te vou mostrar. 2Farei de ti um grande povo; hei de abençoar-te e tornar-te famoso. O teu nome será uma bênção. 3Hei de abençoar os que te abençoarem e amaldiçoar os que te amaldiçoarem. E através de ti serão abençoados todos os povos do mundo.»

4Abrão pôs-se a caminho, tal como o Senhor lhe tinha ordenado, e Lot foi com ele. Abrão tinha setenta e cinco anos de idade quando saiu de Haran. 5Levou consigo a sua mulher Sarai e Lot, seu sobrinho, mais todos os bens que possuíam e a gente que trabalhava para ele em Haran e foram a caminho da terra de Canaã. Quando chegaram à terra de Canaã, 6Abrão foi atravessando o país até Siquém, junto da árvore sagrada de Moré. Naquele tempo, quem habitava o país eram os cananeus.

7Ali Deus apareceu a Abrão e disse-lhe: «Vou dar esta terra aos teus descendentes.» E Abrão construiu um altar em honra do Senhor, no lugar onde ele tinha aparecido. 8Dali partiu em direção à montanha que está a oriente e montou a sua tenda, deixando Betel a ocidente e Ai a oriente. Construiu lá um altar em honra do Senhor e prestou-lhe culto. 9Depois foi avançando em direção ao Negueve.

Abrão e Sarai no Egito

10Houve então uma terrível fome em Canaã e Abrão encaminhou-se para o Egito, para ficar por lá algum tempo. 11Quando estava já quase a chegar ao Egito, disse a Sarai, sua mulher: «Eu sei que tu és uma mulher muito bonita. 12Quando os egípcios te virem, dizem logo que és minha mulher e são capazes de me matar para ficarem contigo. 13Diz portanto que és minha irmã, para que eu seja bem tratado, por tua causa, e possa continuar vivo, graças a ti.»

14Ao chegarem ao Egito, os egípcios, de facto, repararam que ela era muito bonita. 15Viram-na também os oficiais do faraó e foram elogiá-la junto do faraó. E assim a mulher de Abrão foi levada para o palácio do faraó. 16Abrão, por seu lado, foi bem tratado por causa dela. Arranjou rebanhos de ovelhas e vacas, burros, jumentas e camelos e tinha criados e criadas ao seu serviço.

17O Senhor infligiu grandes castigos ao faraó e à sua família, por causa de Sarai, mulher de Abrão. 18Então o faraó mandou chamar Abrão e perguntou-lhe: «Por que é que fizeste uma coisa destas? Por que não me disseste que ela era tua mulher? 19Disseste que era tua irmã e eu casei com ela. Mas uma vez que é tua mulher, aqui a tens, podes levá-la.» 20O faraó mandou alguns homens para fazerem sair do Egito Abrão com a sua mulher e com tudo o que lhe pertencia.

REFLEXÃO

De todas as pessoas no mundo, por que razão Deus escolheu Abrão para receber uma promessa tão incrível (12:2-3)? A passagem não nos dá muitas pistas, mas, lembra-nos de que Deus tinha um plano: abençoar o mundo inteiro. O pecado impediu que as pessoas se reconciliassem com Deus (3:23-24) e recebessem essa bênção.

Embora a iniciativa tenha partido de Deus, isso não significa que não tenhamos responsabilidade no desenvolvimento do nosso relacionamento com Deus. Aparentemente, Abrão cultivou o hábito de ouvir a voz de Deus, ao longo dos seus 75 anos. Estarás tu a fazer o mesmo? Abrão, também estava disposto a obedecer. Quando Deus lhe disse para deixar a sua casa (12:1), ele foi, apesar, de não saber qual o destino. Estás tu disposto a abandonar alguma coisa… tudo… para seguir a Deus? Abrão não se esqueceu de Deus pelo caminho. Ele tomava tempo, regularmente, para se lembrar do que Deus tinha feito e cultivar a sua relação com ele (12:7-8). E Tu? Tens feito o mesmo?

O facto de Abrão ser um dos grandes exemplos de fé na Bíblia (15:6; Romanos 4:1-25), torna a sua reação à fome, ainda mais estranha (12:10). Depois de tudo o que Deus tinha dito e feito, Abrão podia ter confiado em Deus para suprir a sua necessidade de alimento, mas, em vez disso, mudou-se para o Egito (repara que Deus não lhe disse para ir) e, depois, inventou uma desculpa para se “proteger” a si e à sua mulher. Mesmo quando sabemos o que Deus quer que façamos, às vezes, erramos. Mas, agradecemos a Deus por permanecer connosco mesmo quando fazemos más escolhas. Podemos ter de enfrentar consequências difíceis ou dolorosas, mas, Deus nunca nos abandona. Na verdade, muitas vezes, ele usa os desvios da nossa caminhada para nos ensinar coisas que não aprenderíamos
de outra forma.

APLICAÇÃO

Como é que Deus te encontrou? Como lhe respondeste? Que desvios tens encontrado no teu caminho, ao longo da vida? O que Deus te ensinou através dessas experiências?

ORAÇÃO

Obrigado Pai, por teres tomado a iniciativa de me encontrar. Não compreendo a totalidade do teu amor por mim, mas estou muito grato. Ajuda-me a seguir-te a cada passo do caminho.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.16.16
Siga-nos em: