Sociedade Bíblica de Portugal

Dia 2

Texto(s) bíblico

Conselho aos jovens

8Meu filho, ouve as advertências de teu pai,

não desprezes os ensinamentos de tua mãe,

9pois são como um diadema na tua cabeça

e um colar para o teu pescoço.

10Se as más companhias te quiserem seduzir,

não lhes dês ouvidos, meu filho.

11Eles vão dizer-te: «Vem connosco!

Vamos preparar uma emboscada

e divertir-nos a armar ciladas aos inocentes.

12Vamos engoli-los vivos como o abismo,

como os mortos que baixam à sepultura.

13Arranjaremos toda a espécie de riquezas

e encheremos as nossas casas com os despojos!

14A tua parte será igual à nossa,

pois o que conseguirmos arranjar será de todos.»

15Meu filho, não vás com gente dessa,

afasta-te dos seus maus caminhos,

16porque eles têm pressa de fazer mal,

sempre prontos para matar alguém.

17Não vale a pena estender uma rede,

se os pássaros estão a ver o caçador.

18Porém as suas armadilhas são contra si próprios

e põem a sua vida em perigo.

19Esse é o fim dos gananciosos:

é a própria ganância que os mata.

Provérbios 1:8-19BPTAbrir na App Bíblia para todos

Há que escutar os conselhos de um pai extremoso e de uma mãe conscienciosa. Desprezar tamanha riqueza é como deitar diamantes para o lixo. As advertências e os ensinamentos paternais são puro ouro. Aproveite-se tudinho, sem fretes nem desdéns. Nada de fazer ouvidos de mercador aos avisos sobre os perigos das “más companhias”. Quando se tem o sangue na guelra é usual achar o máximo ao que a malta da pesada propõe. E mesmo que rapidamente se perca o encanto por essa turma, fica difícil nadar contra a corrente. Daí que o melhor mesmo seja atentar para as sugestões de não cair no logro de lhes dar atenção ou sequer uma pontinha de confiança. Dá-se-lhes a mão, tomam-nos logo o braço e de seguida o coração. Em três tempos está-se a participar em disparates, no meio de confusões, com as autoridades à perna e a vida virada de pantanas. Recuse-se o convite para a farra desabrida, a diversão à custa “dos inocentes”, o lucro fácil, qualquer forma de roubo e a partilha “democrática” de bens extorquidos. Ouça-se a voz sábia de quem amorosamente alerta para que se recuse acordos “com gente dessa” e recomenda distância quilométrica de tão péssima influência. Seja-se ligeiro a abraçar o bem e a fugir dos que “têm pressa de fazer o mal”. Cuidado extremo com os peritos em armadilhar a vida alheia, conquanto estes, sem que tenham consciência disso, estejam a dar tiros nos pés. O fim dos gananciosos é acabar às mãos do que os corrói por dentro. Ouça-se, pois, a voz de pais mansos, pois estes são um canal Daquele que é a fonte de toda a sabedoria.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.21.9
Siga-nos em: