Sociedade Bíblica de Portugal

4 – No princípio – NUNCA MAIS

ORAÇÃOSenhor Deus, eu te louvo e adoro. Por favor, dá-me a perceção da tua presença ao ler a tua Palavra, hoje.

Texto(s) bíblico

Fim do dilúvio

1Deus não se esqueceu de Noé nem dos animais selvagens e domésticos, que se encontravam com ele na arca, e fez com que o vento soprasse sobre a terra e então a água começou a baixar. 2As fontes do mar profundo e as comportas do céu fecharam-se e a chuva deixou de cair. 3As águas que estavam sobre a terra foram recuando a pouco e pouco e ao fim de cento e cinquenta dias já tinham diminuído. 4A arca poisou então nas montanhas de Ararat. Era o dia dezassete do sétimo mês do ano. 5Até ao décimo mês, as águas continuaram a baixar e no primeiro dia do décimo mês já se viam os cimos dos montes.

6Quarenta dias depois, Noé abriu a janela que tinha feito na arca, 7mandou para fora um corvo e ele andou a voar dum lado para o outro, até secarem as águas que havia sobre a terra. 8Noé mandou depois uma pomba, para ver se as águas já estavam suficientemente baixas. 9Mas a pomba também não encontrou ainda lugar onde poisar e voltou de novo para junto de Noé, na arca, porque as águas ainda cobriam a terra. Noé estendeu a mão, pegou nela e levou-a de novo para dentro da arca.

10Esperou ainda sete dias e voltou a mandar a pomba. 11Pela tardinha, a pomba regressou para junto de Noé com um ramo de oliveira no bico. Noé ficou, por isso, a saber que as águas já tinham baixado bastante. 12Esperou outros sete dias e soltou de novo a pomba, mas desta vez ela já não voltou mais para a arca.

13No primeiro dia do primeiro mês do ano, quando Noé tinha seiscentos e um anos de idade, as águas já tinham desaparecido sobre a terra. Noé retirou a cobertura da barca e reparou que a terra estava a secar. 14No dia vinte e sete do segundo mês a terra já estava seca.

Um novo começo do mundo

15Deus disse então a Noé: 16«Podes sair da arca, tu e a tua mulher, os teus filhos e as tuas noras. 17Faz também sair contigo todas as espécies de seres vivos que estão contigo, aves, animais e toda a espécie de bichos da terra. Que eles se propaguem pela terra, que sejam férteis e cresçam.»

18Noé saiu com os seus filhos, a mulher e as noras. 19Saíram também da arca todos os animais, bichos, aves, tudo o que se move na terra, conforme as suas diferentes famílias.

20Noé fez um altar em honra do Senhor e ofereceu em sacrifício sobre esse altar alguns animais puros e algumas aves puras. 21Ao sentir o perfume agradável daquele sacrifício, o Senhor pensou para consigo: «Não voltarei mais a amaldiçoar a terra, por causa dos seres humanos. É certo que eles têm más inclinações desde a infância. Mas não voltarei mais a castigar todos os seres vivos como fiz desta vez.

22Enquanto o mundo existir,

nunca mais há de faltar sementeira e colheita,

frio e calor, verão e inverno, dia e noite.»

Aliança de Deus com a Humanidade

1Deus abençoou Noé e os seus filhos e disse-lhes: «Sejam férteis, cresçam e encham a terra. 2Todos os animais selvagens e as aves, tudo o que se move na terra e os peixes do mar hão de tremer de medo diante de vós. Todos eles ficam sujeitos ao vosso poder.

3Podem comer de todos os animais vivos assim como das verduras e plantas que vos dei. Tudo isso fica à vossa disposição. 4Mas não devem comer a carne sem lhe tirar primeiro o sangue, que é a base da vida. 5Pois a todo aquele que vos tiver tirado a vida, seja animal, seja homem, eu pedirei contas do vosso sangue. Pedirei contas a qualquer um que tenha tirado a vida a um seu semelhante.

6Àquele que tira a vida a um homem,

outro homem lhe tirará a vida,

pois o ser humano foi criado como imagem de Deus.

7Quanto a vocês sejam férteis e cresçam,

propaguem-se pela terra e dominem-na

8Deus disse a Noé e aos seus filhos: 9«Vou fazer um pacto de aliança convosco e com os vossos descendentes, 10que se estenderá a todos os seres vivos que estão convosco, aves, animais domésticos e selvagens, os que agora saíram da arca e todos os que existirem na terra. 11Hei de manter sempre essa aliança convosco e mais nenhum ser vivo voltará a morrer pelas águas do dilúvio. Pois não haverá mais nenhum dilúvio a destruir a terra.» 12E Deus continuou: «Este será o sinal da aliança que eu vou estabelecer entre mim e vós e todos os seres vivos que estão convosco, para todo o sempre. 13Hei de colocar o meu arco-íris nas nuvens e esse será o sinal de aliança entre mim e a terra. 14Quando eu fizer aparecer nuvens sobre a terra e aparecer o arco-íris nas nuvens, 15será para me lembrar da aliança que fiz convosco e com todos os seres vivos que existem. E assim não haverá mais nenhum dilúvio a destruir os seres vivos. 16Quando o sinal aparecer nas nuvens, eu hei de olhar para ele e hei de recordar-me desta aliança eterna, que existe entre mim e todos os seres vivos, com tudo o que vive na terra.» 17E Deus concluiu dizendo a Noé: «Este é o sinal da aliança que eu estabeleço com todos os seres vivos que existem na terra.»

Génesis 8:1-9:17BPTAbrir na App Bíblia para todos

Tivemos um cão, um Beagle, chamado Rascal, era muito nervoso e inconstante. Quando eu abria a porta para o levar a passear, corria como um relâmpago para a relva, raspando os nós dos meus dedos e a trela contra a porta. Por isso, posso imaginar a explosão de alegria captada em Génesis 8:18-19. Finalmente livres!

Mas, será que estavam? Sim. Noé, a sua família e os animais estavam livres da arca mal cheirosa, mas, estariam definitivamente livres do mau cheiro do pecado? Teria o dilúvio deixado o registo completamente limpo? Como veremos, dentro em breve na nossa leitura, a resposta é um definitivo e triste “não”.

Noé parece compreender este dilema subjacente à vida. Talvez por isso, a sua primeira reação não tenha sido festejar, mas adorar. Deus agrada-se quando, humildemente, o buscamos (8:21-22). A resposta de Noé a Deus, também, nos dá uma pista sobre um dos grandes temas da Bíblia — o sacrifício como forma de alcançar o perdão pelos pecados. Vemos isso por todo o Antigo Testamento e, quando chegarmos ao Novo, vamos descobrir que essa é a chave para compreender a morte e a ressurreição de Jesus Cristo.

É claro, que Deus entende perfeitamente a realidade do pecado, e é isso que torna a sua promessa a Noé ainda mais tocante (9:8-17). Embora Deus saiba que os seres humanos são pecadores incorrigíveis (8:21), nunca mais os destruirá completamente (8:21; 9:11, 15). Na verdade, ele vai bastante mais longe para lhes garantir que a sua intenção era fazer, exatamente, o oposto. Nesta fase da história, o arco-íris era o símbolo do seu amor. Mas, não faltaria muito para que ele viesse ao mundo e o demonstrasse pessoalmente.

APLICAÇÃO

O que mais te faz lembrar que Deus te ama? O que poderias fazer hoje, para lhe mostrar que estás agradecido pelo seu amor?

ORAÇÃO

Obrigado, Senhor, por me amares mesmo conhecendo todos os
segredos do meu coração. Ajuda-me a partilhar o teu amor com
as outras pessoas hoje.

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.16.15
Siga-nos em: