Sociedade Bíblica de Portugal

A Ressurreição de Jesus: o Credo

Nas Cartas de Paulo, encontramos os primeiros testemunhos da fé na ressurreição de Jesus. Estas afirmações de fé já eram conhecidas dos leitores das suas cartas, e portanto remontam aos primeiros cristãos. A ressurreição de Jesus ganhou de imediato o seu lugar central na fé cristã. 

Há outra tradição, que também remonta aos primórdios do cristianismo, que pode ser encontrada nos Evangelhos. Aí, lemos sobre o sofrimento do Filho do Homem e sobre a sua ressurreição após três dias. 

Credos Abreviados

Podemos encontrar os credos mais concisos nas cartas de Paulo e também no livro de Atos. Os credos são as formulações mais antigas de palavras relacionadas com a ressurreição de Jesus.  Desempenharam um papel importante na proclamação do evangelho e no batismo. Um exemplo destas afirmações é «Deus, que ressuscitou Jesus dos mortos».  
Em textos posteriores, tais como os de Paulo  em 1 Coríntios 15:4-8, lemos que este credo tem origem essencialmente na experiência da Páscoa vivida pelos discípulos.

Fundamentos e Significado 

As afirmações confessionais sobre a ressurreição de Jesus concordam na sua forma com outros credos acerca de Deus, tais como: «o Senhor, que fez o céu e a terra» (por exemplo, Salmos 115:15). No seu contéudo, estão em linha com a segunda benção das Dezoito Bençãos dos Judeus (Amidá), conhecidas também no primeiro século. Essa petição afirma: «Tu, Eterno, és Poderoso para sempre; Tu ressuscitas os mortos»
A crença de que Jesus foi ressuscitado dos mortos por Deus encaixa portanto na crença dos judeus de que Deus tem poder sobre a vida e a morte. Ressuscitando a Jesus dos mortos, Deus sublinha a importância da vida e do ministério de Jesus. A ressurreição é também  inspiração para a comunidade de crentes, para que continuem a pregar a mensagem de Jesus. 

Associação a outros Tópicos da Fé 

A afirmação acerca da ressurreição de Jesus está associada, nas cartas do Novo Testamento, com vários outros tópicos relacionados com a fé cristã:

A Ressurreição do Filho do Homem

Outra tradição, em paralelo, é a afirmação dos Evangelhos de que o Filho do Homem será morto e que ressurgirá ao terceiro dia (por exemplo em Marcos 8:31). Nesta afirmação, a noção de Filho do Homem estava ligada às histórias do Antigo Testamento acerca dos profetas que foram mortos.

Seja nosso Parceiro e tenha acesso a +Bíblia:

  • Bíblias de Estudo e artigos
  • Geográfia, história e cultura
  • Línguas originais: hebraico, grego e “Septuaginta”
  • Traduções em PT e noutras línguas

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.19.2
Siga-nos em: