Sociedade Bíblica de Portugal

Divórcio

No mundo bíblico, o divórcio é um costume legítimo. Um marido poderia mandar embora a sua esposa, se já não quisesse estar casado com ela.

Contrato para a vida

Um casamento era considerado, em princípio, um contrato para a vida. Portanto, existem alguns textos na Bíblia em que lemos que Deus odeia que um marido mande a sua esposa embora, como em Malaquias 2: 16. Também no Novo Testamento, há textos contra o divórcio, como as palavras de Paulo em 1 Coríntios 7: 10-16.

O marido manda a esposa embora

Se o marido quisesse o divórcio, não tinha de ter uma razão clara para isso. Poderia simplesmente mandar a sua esposa embora. A esposa nunca poderia tomar a iniciativa de um divórcio.

O marido, no entanto, tinha de dar à esposa uma carta de divórcio. Dessa forma, ela não poderia ser acusada de adultério se quisesse casar novamente (consulte Deuteronómio 24: 1-4). Os parceiros divorciados não podiam casar-se um com o outro pela segunda vez.

A esposa voltava para casa do seu pai até casar novamente.

Exceções

No Antigo Testamento, havia uma exceção à possibilidade de divórcio. Na Israel antiga, se um marido acusasse erroneamente uma mulher de não ser virgem quando se casavam, nunca poderia divorciar-se dela ( Deuteronómio 22: 13-19).

De acordo com Paulo, o divórcio só era permitido se um parceiro descrente quisesse o divórcio.

Seja nosso Parceiro e tenha acesso a +Bíblia:

  • Bíblias de Estudo e artigos
  • Geográfia, história e cultura
  • Línguas originais: hebraico, grego e “Septuaginta”
  • Traduções em PT e noutras línguas

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.16.16
Siga-nos em: