Sociedade Bíblica de Portugal

Crítica Textual do Antigo Testamento: Desenvolvimento

Diferenças entre manuscritos

Quando a crítica textual como disciplina começou, a pesquisa concentrou-se principalmente nas diferenças entre manuscritos e traduções hebraicas. Se houvesse uma discrepância entre dois manuscritos, ou entre manuscritos e traduções, era feita uma pesquisa sobre a provável variante original. Dessa maneira, os estudiosos tentaram descobrir quais variantes se haviam desenvolvido posteriormente.

Palavras e expressões problemáticas

Na segunda metade do século XIX, o foco expandiu-se para os problemas no texto hebraico para os quais não havia variantes. A partir do contexto, pensava-se que certas palavras ou frases não podiam ser originais. Por exemplo:

  • palavras difíceis ou incompreensíveis;
  • construções de frases incomuns;
  • estilo e métrica;
  • palavras ou frases que, a partir do contexto, devem ser consideradas adições posteriores.

No entanto, houve muita discussão sobre as mudanças propostas. Havia muitas emendas com as quais os estudiosos não estavam de acordo. Nem todos os estudiosos tiveram uma atitude tão crítica com relação ao texto Massorético e sempre houve alguns mais reticentes em alterar o texto hebraico.

 

Seja nosso Parceiro e tenha acesso a +Bíblia:

  • Bíblias de Estudo e artigos
  • Geográfia, história e cultura
  • Línguas originais: hebraico, grego e “Septuaginta”
  • Traduções em PT e noutras línguas

Sociedade Bíblica de Portugalv.4.19.2
Siga-nos em: